Hérois Da Fé

Ainda existem heróis da fé nos nossos dias, que esse vídeo sirva para edificação,reflita como tem sido sua vida cristã. abraço a todos.







video

Coreia do Norte confirma prisão de ativista americano

Notícias
30/12/2009 - 14h42
Coreia do Norte confirma prisão de ativista americano



COREIA DO NORTE (1º) - A Coreia do Norte confirmou que o ativista americano Robert Park (saiba mais) foi detido no país na quinta-feira passada por atravessar ilegalmente a fronteira com a China, segundo informou a agência oficial norte-coreana "KCNA".

"Um americano foi detido no dia 24 de dezembro após entrar ilegalmente a Coreia do Norte através da fronteira com a China e está sendo investigado pelas autoridades competentes", indicou a agência, que não confirmou o nome nem qualquer outra informação adicional sobre o homem.

Segundo veículos de imprensa sul-coreanos, Robert Park, de 28 anos, um missionário e ativista pró direitos humanos de origem coreana, cruzou a fronteira vindo da China com o objetivo de entregar uma carta ao líder norte-coreano, Kim Jong-Il, e pedir-lhe o fechamento dos campos de trabalho norte-coreanos.

Dias antes, Park teria dito em Seul que queria a liberdade para os 23 milhões de norte-coreanos que vivem no país comunista e que, caso que fosse detido na Coreia do Norte, não queria que o Governo americano o libertasse.

De acordo com o diário sul-coreano "JoongAng", o ativista gritou ao atravessar a fronteira: "Sou cidadão americano. Trouxe o amor de Deus. Deus lhes ama e lhes abençoa".

Park é um dos representantes de grupos cristãos que condenaram a situação dos direitos humanos na Coreia do Norte e que organizaram protestos nos EUA, África do Sul e Japão em uma campanha para transmitir à opinião pública a situação no regime de Kim Jong-Il.

Em agosto a Coreia do Norte libertou dois jornalistas americanos de origem asiática, condenados a doze anos por entrada ilegal no país, graças à mediação do ex-presidente dos EUA, Bill Clinton.

Os jornalistas tinham sido detidos em março na fronteira da Coreia do Norte com a China enquanto gravavam imagens para um documentário sobre o tráfico de refugiadas norte-coreanas.

Em janeiro está prevista a viagem a Seul do enviado especial dos EUA para os direitos humanos na Coreia do Norte, Robert King, para abordar a situação no país comunista.

Ore pelo cristão Robert Park. Seus pais e amigos não sabem a situação em que ele se encontra e precisam da força que vem do Senhor. Peça a Deus que lhes dê consolo e que proteja Robert para enfrentar todas as situações.

E se fosse você?





Fonte: Efe-



Doando-se a Deus Por Amor




Doando-se a Deus - Morrer por Amor
Por Luciano P. Subirá

Há uma relação entre o amor e a entrega de vida. Não me esquecerei do dia em que Deus me deu um novo entendimento sobre este nível de compromisso e resposta de amor a Ele. Foi em Roma, no dia 16 de Agosto de 2003, cerca de 13:30h. Parei em frente a Piazza di Spagna com minha esposa Kelly, e a pastora Roselen, de Milão, que nos ciceroneava, e viajei no tempo e na história imaginando os crentes que Nero queimou para iluminar aquela praça e escadarias. E não pude evitar: chorei. Chorei silenciosamente imaginando não apenas a dor do tipo de morte que provaram, mas a tristeza da separação provada pelas famílias dos mártires, e como a Igreja de Cristo foi edificada com o sangue de muitos santos que se doaram à causa do Evangelho sem reservas.

A geração de nossos dias ainda não entende esta dimensão de compromisso; nem tampouco a nobreza destes crentes. O livro de Hebreus fala de alguns dos quais este mundo não era digno. Foi assim que me senti naquele dia, com a certeza de que o mundo jamais entenderia a atitude destes santos, e que não sabíamos corresponder com dignidade ante a nobreza de sua entrega. Minha vontade era de gritar para todo mundo que eles não entendiam o que aconteceu ali. Que em vez de estarem rindo ou conversando, deveriam renovar seus votos de consagração a Deus, se é que já haviam se consagrado a Ele.

Sempre imaginei que não seria difícil morrer por Jesus, uma vez que o crente não tem medo da morte. Na verdade, sempre brinco citando um pregador que ouvi certa vez: "o crente não morre, é promovido e transferido. Deixa de trabalhar na filial e vai lá para a matriz, e ainda fica mais perto do patrão"! Porém, neste dia, ali nas escadarias da Praça de Espanha, visualizei algo que nunca percebera. Imaginei a dor da separação familiar. Pensei em meus filhos, Israel e Lissa, então com cinco e dois anos, respectivamente. Eles não nos acompanharam nesta viagem, estavam no Brasil, na casa de meus sogros.

O que seria morrer numa hora como aquela? Como seria ter que partir sem poder se despedir? Qual a minha atitude se tivesse que morrer por amor a Cristo sem poder encaminhá-los na vida, prover suas necessidades, ou providenciar quem os dirigisse?

Foi ali que percebi, não meramente por uma conclusão racional e lógica, mas por uma revelação interior, que era preciso muita fé e entrega para se deixar martirizar. Não era só uma questão de atravessar o "portal" para a vida eterna. Talvez esta fosse a parte mais simples. Era preciso muito fé para largar tudo para trás.

E o interessante era a forma como estes mártires partiam. A história registra que muitos cristãos morriam cantando. Isto mesmo, louvando até o fim! Algumas vezes, quando alguns já não agüentavam a dor e o calor das chamas se aproximando do corpo, e passava a gritar, outro crente continuava o cântico onde havia o anterior havia parado. Andei por aquelas escadarias todas, e com uma profunda dor no coração pedi ao Espírito Santo que me ensinasse mais sobre entrega. E renovei cada oração e voto de consagração de minha vida que já fizera um dia ao Senhor.

Também tive o privilégio de conhecer o Coliseu nesta nossa passagem pela Itália, e ali também se tem os mesmos relatos de mortes honrosas dos crentes primitivos. Muitos deles louvavam ao Senhor enquanto aguardavam serem devorados pelos leões. Isto é que é entrega! Isto é que é amor!

Demorei a entender, mas o fato é que Deus não pede a nossa vida, e sim a disposição de perdê-la por amor a Ele. A primeira geração de crentes agiu assim e deveríamos seguir seu exemplo. Atualmente, a Igreja de modo geral não demonstra este nível de compromisso, mas muita coisa está para mudar. O Espírito de Deus há de levantar uma nova geração tomada de paixão e entrega por Jesus, e ela o servirá até as últimas consequências. A relação entre amor e entrega de vida é algo claramente visto nas páginas das Escrituras:

"Porque Cristo, quando nós ainda éramos fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Dificilmente, alguém morreria por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém se anime a morrer. Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores". (Romanos 5.6-8)

O amor de Deus ficou provado no fato de que Cristo morreu por nós. Esta relação de assuntos é vista não apenas quando se trata do que Jesus fez por nós, mas também do que devemos fazer por ele e pelos irmãos:

"Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos". (1 João 3.16)

Enquanto não nos dispomos a doar nossas vidas para e pelo Senhor ainda não o amamos como devemos. Somos chamados a demonstrar nosso amor ao Senhor mediante a decisão de morte e rendição completa. O amor de Cristo o levou a morrer por nós, e Deus espera que possamos corresponder à altura de seu investimento em nossas vidas:

"Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos; logo, todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou". (2 Coríntios 5.14,15)

O entendimento do amor e entrega de Cristo devem produzir em nós uma resposta de amor e entrega a Ele também.

Morrer por Amor

A relação entre o amor ao Senhor e entrega de vida também pode ser vista nas palavras de Jesus:

"Chamando a si a multidão com seus discípulos, disse-lhes: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; e quem perder a sua vida por amor de mim e do Evangelho, salvá-la-á". (Marcos 8.34,35 - Tradução Brasileira)

Jesus deixou bem claro que para ser seu discípulo é necessário tomar a cruz. Tomar a cruz fala de morte. Nos dias de Jesus o Império Romano executava os criminosos através da crucificação. E quando a hora da morte chegava, faziam com que o condenado carregasse sua própria cruz em público, até o local onde morreria. Era uma forma de todos saberem que ele estava indo ser crucificado. Isto aconteceu com Jesus, que também teve que carregar sua cruz, embora tenha sido ajudado durante o percurso (Mt 27.32).

Portanto, ao dizer aos seus discípulos que tomassem a cruz, Cristo estava nos mostrando que temos que tomar uma decisão (pública) de nos anular e morrer para nós mesmos. Seria o mesmo que em alguns países que possuem a pena de morte dizer a alguém que tomasse sua cadeira elétrica ou injeção letal.

O Mestre deixou claro que, para poder segui-lo e ser seu discípulo, cada um teria que negar-se a si mesmo e morrer. Não se tratava de uma probabilidade, e sim de algo certo.

Fonte: www.orvalho.com

Discipulando a Próxima Geração


Discipulando a Próxima Geração
Por www.ameprod.com.br

Esta é uma maravilhosa verdade. Somos "nação santa, raça eleita, povo de propriedade exclusiva de Deus" (1 Pedro 2.9).

Somos uma grande família, a família de Deus na terra. Fomos gerados pelo Espírito Santo através da divina semente do Pai e nos tornamos seus amados filhos pela operação da graça de nosso Senhor Jesus Cristo. Quando isto aconteceu, quando nascemos de novo para dentro desta família "ficamos como quem sonha" (Salmo 126). Tivemos a mais linda surpresa de nossas vidas, descobrimos que pertencemos a Deus, que somos parte de sua grande família na terra. Descobrimos que, como por milagre, nos tornamos parentes íntimos de Jesus, de Maria, de Pedro, de Paulo, de Lutero, de Wesley, de Watchman Nee, de Billy Graham e de milhões de santos de Deus que fazem parte do povo mais feliz da terra.

Esta é uma maravilhosa verdade. Somos "nação santa, raça eleita, povo de propriedade exclusiva de Deus" (1 Pedro 2.9). Estamos rodeados por "grande nuvem de testemunhas" (Hebreus 12.1), homens e mulheres que, desde Adão e Eva, experimentaram o poder de Deus em suas vidas. Podemos dizer, então, que somos um povo com "pedigree", pois o que foi gerado em nós provém de uma divina semente, que é santa, é pura, é perfeita.

Diz o Salmo 90: "Senhor, tu tens sido o nosso refúgio de geração em geração". Sabemos que uma geração compreende cada grau de filiação entre pai e filho, num espaço de tempo de aproximadamente 25 anos. Felizes as gerações que têm feito do Senhor o seu refúgio no decorrer dos anos e séculos. Há casos que conhecemos, de famílias fiéis a Cristo e a seus propósitos, que permanecem assim até à quinta geração. E isto ainda é muito pouco pelo que o nosso Deus quer fazer: "Sou Deus zeloso que faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos" (Êxodo 20.6).

SOMOS FRUTO DE UMA GERAÇÃO
PARA DAR FRUTO NA GERAÇÃO SEGUINTE

Assim como todos nós recebemos a divina semente de nossos pais espirituais, assim Deus espera de nós que semeemos também esta palavra geradora de vida no coração de nossos filhos naturais (se somos pais) e no coração dos não crentes, para que também venham tornar-se filhos do Pai. O Salmo 78, talvez o mais expressivo da Bíblia neste assunto, afirma: "O que ouvimos e aprendemos, o que nos contaram nossos pais, não o encobriremos a seus filhos; contaremos à vindoura geração os louvores do Senhor e o seu poder e as maravilhas que fez. Ele estabeleceu um testemunho em Jacó, e instituiu uma lei em Israel, e ordenou a nossos pais que o transmitissem a seus filhos, a fim de que a nova geração os conhecesse, filhos que ainda hão de nascer, se levantassem e por sua vez o referissem aos seus descendentes, para que pusessem em Deus a sua confiança, e não se esquecessem dos feitos de Deus, mas lhe observassem os mandamentos; e que não fossem, como seus pais, geração obstinada e rebelde, geração de coração inconstante, e cujo espírito não foi fiel a Deus" (vs. 3 a 8).

DESAFIO PERMANENTE

Queridos pais e discipuladores: estamos diante de um grande desafio que deve nos encher de temor e responsabilidade. A moldagem e formação da próxima geração estão em nossas mãos. Nas mãos de Deus somos como oleiros a moldar um barro imperfeito para que nele vá se formando uma pessoa, um querido filho, um amado discípulo que vai se tornando cada dia mais parecido com Jesus. (Veja Jeremias 18.) Estamos dispostos a cooperar verdadeiramente com Deus nesta que é a mais linda obra na face da terra? Estamos? Então, mãos à obra!

Fonte: www.igrejaempoa.com.br | www.ameprod.com.br

COMO FAZER O DEVOCIONAL



O Devocional Diário - Como fazer o Devocional
Por Luciano P. Subirá

Como fazer o devocional?

Muitos nos perguntam como podem conduzir seu tempo devocional. Isto é algo pessoal, e acima de tudo, devemos ser sensíveis ao Espírito Santo. Mas há algumas coisas que precisam estar presentes neste momento, e queremos dar algumas sugestões quanto a estas práticas indispensáveis para o momento devocional. São elas: a meditação bíblica, a oração e a adoração.

Meditação Bíblica - Nos dias do Antigo Testamento (e mesmo até séculos recentes) as pessoas não dispunham de cópias das Escrituras. Alguns - como os sacerdotes e escribas, por exemplo - tinham acesso diário às Escrituras, mas a maioria não. Eles dependiam das reuniões públicas para semanalmente ter algum contato com a Palavra. Penso que esta foi a única razão pela qual Deus não exigiu de todos a leitura diária das Escrituras, mas ainda assim, de alguns isto era exigido, como no caso dos reis:

"Também, quando se assentar no trono de seu reino, escreverá para si um traslado desta lei num livro, do que está diante dos levitas e sacerdotes. E o terá consigo e o lerá todos os dias da sua vida, para que aprenda a temer ao Senhor, seu Deus, a fim de guardar todas as palavras desta lei e estatutos, para os cumprir". - Deuteronômio 17.18,19

Foi por ter este contato diário com as Escrituras, que Davi pôde escrever um Salmo tão belo como o 119. Creio que Deus espera daqueles que desejam viver próximos dEle, um tempo diário com sua Palavra, que envolve pelo menos três atividades distintas além da leitura em si: falar (confissão e testemunho aos outros); meditar (refletir, analisar cuidadosamente); praticar (viver o que está escrito, obedecer). Veja o que Deus disse a Josué:

"Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas o cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o seu caminho e serás bem-sucedido". - Josué 1.8

Oração - Já vimos que Jesus nos ensinou em Seu modelo de oração a estarmos diariamente perante Deus. Esta deve ser uma prática diária, o que percebemos na frase "o pão nosso de cada dia..."; portanto, também deve estar em nosso momento devocional diário. Este tempo deve envolver os diferentes tipos de oração, como por exemplo: confissão (tanto de nossos pecados como também das promessas bíblicas que nos dizem respeito); súplica (aqui se enquadram nossas petições); intercessão (quando oramos por outros - nossos familiares, discípulos, vizinhos etc...); ações de graça; oração no Espírito (em outras línguas).

A oração do "Pai-Nosso" é um excelente modelo de oração; suas frases nos dão uma direção para as áreas importantes a serem abordadas em nossa oração diária. Louvor e Adoração - Esta também é uma prática diária. Davi declarou:

"Todos os dias te bendirei e louvarei o seu nome para sempre". - Salmos 145.2

O tempo de adoração pode envolver cânticos conhecidos e espontâneos, bem como declarações de amor e exaltação. Alguns gostam de utilizar músicas gravadas num CD nestes momentos, o que também deve ser visto como um acréscimo ao momento de adoração. Ouvir louvores não substitui o louvar; são duas coisas distintas. Mas acompanhar o louvor gravado não deixa de ser um bom recurso.

Concluindo

Além de saber que devemos ter nosso período devocional diário (e matinal) com Deus, e conhecer algumas das práticas indispensáveis a este momento, penso que devemos também compreender a quietude e privacidade que devem estar presentes neste momento. Acredito que há algo poderoso na oração coletiva, e devemos aprender a orar com outros irmãos, bem como com a Igreja toda reunida. Mas a força do período devocional com Deus reside no princípio de estar a sós com Deus. Isto não só nos ajuda a cultivar a intimidade com o Senhor, como também é um mandamento de Cristo:

"Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará". - Mateus 6.6

Estar à portas fechadas com Deus, é uma necessidade de cada um de nós. Ali não só pedimos, mas adoramos e nos rendemos com total liberdade de rasgar o coração. Assim como um casal tem seus momentos de privacidade longe da vista de todos, penso que devemos cultivar momentos de comunhão com o Noivo que também sejam marcados pela privacidade.

Se você não tem meios de se trancar, pelo menos procure se afastar das demais pessoas para ter este momento. Certamente esta prática diária te levará a um novo nível de relacionamento com Deus!

Fonte: www.orvalho.com


SER DISCÍPULO

Ser um discípulo de Jesus, é ser um seguidor de Jesus
Por Daniel Beda

Um discípulo é um aluno, um aprendiz e também um SEGUIDOR de Jesus. Os textos que usamos abaixo estão na Nova Tradução Linguagem de Hoje, e o termo usado para "discípulo" nessa tradução é "seguidor".

(MT 11:29) Sejam meus seguidores e aprendam comigo porque sou bondoso e tenho um coração humilde; e vocês encontrarão descanso.

De acordo com o dicionário, um seguidor é: Um continuador - um perseguidor - aquele que acompanha alguém - aquele que deixa se guiar por alguém - um imitador - alguém que segue um modelo.

Para ser um seguidor é necessário ter: concentração - motivação - esforço - fidelidade - responsabilidade.

O que nós somos de Jesus?

Se nós somos seguidores (discípulos) de Jesus, então temos a responsabilidade de fazer com que as pessoas sigam a Ele. Jesus nos deixou uma ordem:

(MT 28:18-20) Então Jesus chegou perto deles e disse: - Deus me deu todo o poder no céu e na terra. 19 Portanto, vão a todos os povos do mundo e façam com que sejam meus seguidores, batizando esses seguidores em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo 20 e ensinando-os a obedecer a tudo o que tenho ordenado a vocês. E lembrem disto: eu estou com vocês todos os dias, até o fim dos tempos.

Jesus nos mandou ensinarmos as pessoas a obedecer a tudo que Ele ordenou, e isso significa, ensinar as pessoas a serem como Ele é. Jesus foi um seguidor do Pai, Ele fez com que o mundo conhecesse o Pai e também transmitiu a vida do Pai para os seus seguidores.

(JO 17:6-8) Eu mostrei quem tu és para aqueles que tiraste do mundo e me deste. Eles eram teus, e tu os deste para mim. Eles têm obedecido à tua mensagem 7 e agora sabem que tudo o que me tens dado vem de ti. 8 Pois eu lhes entreguei a mensagem que tu me deste, e eles a receberam, e ficaram sabendo que é verdade que eu vim de ti, e creram que tu me enviaste.

Portanto esta também é a nossa missão neste mundo !!!

Mostrar para o mundo quem é Jesus - entregar ao mundo a mensagem que Jesus nos deu - fazer com que todos sejam seguidores de Jesus.

No amor de Jesus
Daniel Beda.
www.ameprod.com.br

PARA AQUELES QUE O AMAM





Por Antônio Cirilo

1 Coríntios 2:9 diz: "Mas, como está escrito: nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado PARA AQUELES QUE O AMAM. Mas Deus no-lo revelou pelo espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus. Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o seu próprio espírito que nele está? Assim, também as coisas de Deus, ninguém as conhece, senão o Espírito de Deus. ORA, NÓS NÃO TEMOS RECEBIDO O ESPÍRITO DO MUNDO, E SIM O ESPÍRITO QUE VEM DE DEUS, PARA QUE CONHEÇAMOS O QUE POR DEUS NOS FOI DADO GRATUITAMENTE".

É importante compreendermos, através de uma simples interpretação de texto, exatamente para quem se destina essas maravilhosas coisas que os olhos não virão e ouvidos não ouviram... É exatamente isso: todas essas maravilhas vindas de Deus são para aqueles que o amam. Quando lemos que o primeiro e grande mandamento da Lei é "amar ao Senhor seu Deus de todo coração, com todo o entendimento e com toda a força", podemos ver claramente que o nosso Deus traçou um minucioso plano para nos abençoar. Ele reservou bênçãos maravilhosas para aqueles que o amam e deixou um mandamento claro: "ame ao Senhor...".

Particularmente eu não acredito que Deus precisa do nosso amor para se sentir melhor. Ele é o Senhor Deus, quer nós o amemos ou não. Mas, o que eu creio de todo o meu coração é que, se ele condicionou a benção em nossa vida ao fato de nós o amarmos, na verdade ele deseja despertar e desenvolver o amor em nossos corações e para nos incentivar estabeleceu uma conseqüente recompensa. E porque Ele deseja fazer isso? A resposta é muito simples. Deus é amor. Ele deseja que sejamos parecidos com Ele. Todo pai deseja que seu filho "puxe" suas qualidades mais excelentes. Deus é puro amor e deseja que você e eu sejamos puro amor assim como Ele é. E para despertar e desenvolver esse amor em nós ele estabeleceu uma didática para nos ensinar. A didática é essa: "você ama a Deus e Ele te recompensa com as coisas mais maravilhosas que existem nos céus e na terra, nos três níveis de sua existência humana - espírito, alma e corpo".

E como Ele faz isso? PELO SEU ESPÍRITO... PELA REVELAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO. Todas as bênçãos de Deus no âmbito espiritual, emocional e material vêm através do Espírito Santo. Sendo assim, a nossa comunhão com o Espírito de Deus tem que ser indiscutível. Todo dia pela manhã você e eu precisamos renovar nossa comunhão com o Espírito Santo de Deus, pois é Ele quem irá guiar-nos para dentro do propósito do Senhor naquele novo dia.

A vida no exercício do amor será uma vida feliz. O ser humano, de uma forma geral se sente feliz ao servir seu semelhante. Por isso a Bíblia diz que coisa mais bem-aventurada é dar do que receber. Pois, o amor é isso: puro dar... puro compartilhar. Esse é o ponto - Deus te chamou para viver em plena felicidade e a mesma só se realiza quando servimos Deus e ao próximo.

Falando numa linguagem bem fitness, Deus e o próximo são os equipamentos para exercitar e fortalecer o amor em nossos corações. Se você não acredita em mim, ajude um cego atravessar a rua e depois observe o sentimento maravilhoso que invadirá o seu coração. Você vai experimentar esse sentimento sempre que ajudar alguém. Esse bom sentimento é o que chamamos de felicidade. Quando ganhamos... Recebemos algo experimentamos um sentimento de excitação... Uma espécie de ansiedade aguda. Mas, quando damos, ofertamos algo experimentamos um sentimento de dever cumprido, de felicidade. A felicidade é o fruto produzido por aquela árvore chamada amor.

A expressão: bem-aventurado pode ser também traduzida para: FELIZ... O amor sempre envolve sacrifício. Se eu pudesse definir o amor eu diria que o amor é a perda de algo para se ganhar algo maior do o que se perdeu. Talvez a palavra "investimento' soe melhor que "perda", uma vez que quem ama é sempre mais bem aventurado do que quem é amado". Sempre quando falamos do amor, isso desperta o choro daqueles que não se sentem amados. O interessante é que o mandamento do Senhor Jesus é: amemo-nos uns aos outros. O nosso Senhor Jesus não disse: sede amados uns pelos outros... Ao contrário, ele disse: ame uns aos outros, ou seja, a ordem é para algo ativo e não passivo. Aquelas pessoas que ficam esperando passivamente serem amadas, na sua maioria, são frustradas ao invés de amadas. O Senhor mandou amar. Ser amado é conseqüência, é resultado, é a colheita. Agora, quem não semeia não colhe. Saia da passividade e comece a amar e com certeza alguém, em algum lugar, em alguma época te amará, pois, essa é a dinâmica do reino de Deus.

Pr. Antônio Cirilo
www.santageracao.com.br